Imprimir

Governo de Minas anuncia início do Plano Regional Estratégico do Norte do Estado

Data de publicação .

Agência Minas
Quarta-feira, 13 de julho de 2011

BELO HORIZONTE (13/07/11) - Com a participação do governador Antonio Anastasia, empresários, prefeitos e de vários integrantes do primeiro escalão do Executivo estadual, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), anunciará nesta sexta-feira (15), em Montes Claros, no Norte de Minas, o início da elaboração do Plano Regional Estratégico das microrregiões de Grão Mogol, Janaúba e Salinas. Nos próximos anos, a previsão é de que a região receberá investimentos da ordem de R$ 7 bilhões, na exploração de jazidas de minério de ferro por parte de grandes empresas nacionais e multinacionais.

A apresentação do plano acontecerá durante o Dia do Governo de Minas nos Gerais - Novos Investimentos e Sustentabilidade, que está sendo promovido pelo Governo do Estado em parceria com a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams) e com a Agência de Desenvolvimento do Norte de Minas Gerais (Adenor).

O secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto, entende que o Plano Regional Estratégico será uma ferramenta capaz de prever os possíveis riscos e estabelecer os impactos diretos e indiretos que 36 cidades do Norte de Minas vão sofrer com os empreendimentos de empresas multinacionais da área de mineração. Entre as empresas que já anunciaram interesse de atuação no Norte de Minas estão a Vale S.A; a Carpathian Gold, através da Mineração Riacho dos Machados; e a Sul-Americana de Metais (SAM). O Plano vai traçar diretrizes para a estruturação dos municípios nas áreas da saúde, educação, defesa social, formação profissional, mobilidade urbana, habitação e saneamento, visando atender o aumento de demandas a curto, médio e longo prazos.

O trabalho da Sedru na elaboração do plano terá início em agosto deste ano, com previsão de ser entregue aos municípios em junho de 2012. Para a realização do trabalho o Governo de Minas já investiu R$ 450 mil. Além disso, a Sedru estabeleceu diversas parcerias para recebimento de apoio técnico institucional. Entre os parceiros estão as Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e de Planejamento e Gestão (Seplag), o Ministério da Integração Nacional, a Fundação João Pinheiro (FJP) e o Sebrae-MG.

Abrangência

Entre os municípios localizados no entorno de Grão Mogol, Janaúba e Salinas o Plano Regional Estratégico envolverá Águas Vermelhas, Berizal, Curral de Dentro, Divisa Alegre, Fruta de Leite, Indaiabira, Montezuma, Ninheira, Novorizonte, Rio Pardo de Minas, Rubelita, Santa Cruz de Salinas, Santo Antônio do Retiro, São João do Paraíso, Taiobeiras, Vargem Grande do Rio Pardo, Botumirim, Cristália, Itacambira, Josenópolis, Padre Carvalho, Catuti, Espinosa, Gameleiras, Jaíba, Mamonas, Mato Verde, Monte Azul, Nova Porteirinha, Pai Pedro, Porteirinha, Riacho dos Machados e Serranópolis de Minas.

O Plano Regional Estratégico do Norte de Minas será o quarto a ser elaborado pela Sedru. O primeiro foi concretizado em 2008 na região de Divinópolis, no Centro-Oeste do Estado. Posteriormente foi elaborado o plano estratégico da microrregião de Passos, no Sul de Minas, e, por último o plano do Alto Paraopeba que merece destaque, pois se tornou um marco em planejamento regional recebendo, em 2010, o prêmio Excelência em Gestão Pública do Estado de Minas Gerais.

Planejamento

Na opinião do secretário Bilac Pinto, o planejamento é indispensável para que os novos empreendimentos que estão sendo aportados para o Norte de Minas tragam retorno aos municípios. “O Governo do Estado está possibilitando que os municípios a serem impactados pelos novos empreendimentos realizem um planejamento para que os recursos oriundos da iniciativa privada sejam aplicados em áreas que serão afetadas com a chegada das empresas, entre elas os setores de saúde e a educação”.

Por sua vez, a subsecretária de Desenvolvimento Regional, Beatriz Morais, entende que a política de planejamento adotada nos últimos anos pelo Estado tem se constituído fator fundamental para o crescimento dos municípios mineiros. “Há alguns anos o que víamos em Minas Gerais eram grandes empresas que chegavam em determinada região, acarretando um crescimento desorganizado de diversas cidades. Hoje, com o trabalho de planejamento realizado a partir do Governo Aécio Neves/Antonio Anastasia, as cidades que recebem grandes empreendimentos sabem onde aplicar o dinheiro advindo dos investimentos privados,” destaca a subsecretária.

 

Agência Minas

Quarta-feira, 13 de julho de 2011

FJP e Seej apresentam proposta de criação do Observatório da Juventude

BELO HORIZONTE (13/07/11) - Em uma iniciativa pioneira no Estado, a Fundação João Pinheiro (FJP) e a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej) se reúnem, nesta quinta-feira (14), para discutir os encaminhamentos e definir os planos de criação e desenvolvimento do Observatório da Juventude de Minas Gerais.

O encontro será realizado, às 9h30, na sala do Conselho Curador, no Campus Pampulha da fundação (Alameda das Acácias, nº 70, 5º andar, bairro São Luís/Pampulha, Belo Horizonte) e contará com as presenças do subsecretário de Juventude, Gabriel Azevedo, e de professores e pesquisadores da Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho e do Centro de Estudos de Políticas Públicas da FJP.

De acordo com o Termo de Cooperação Técnica a ser firmado entre as duas instituições, caberá à fundação fornecer dados e metodologias para construção de indicadores para subsidiar a formulação de projetos e programas voltados para a área de Juventude que serão executados pela Seej. A ideia é que o observatório comece a atuar já no segundo semestre de 2011.

Foco

A criação do Observatório da Juventude tem como principal objetivo instituir uma ferramenta para diagnosticar a situação da população jovem em Minas Gerais e avaliar as políticas públicas em vigor, identificando as lacunas existentes para, com isso, subsidiar a implementação de ações em áreas específicas de atuação.

A proposta é realizar abordagens, em escala micro-local, dos problemas enfrentados pela juventude, buscando a identificação de territórios e populações em situação de vulnerabilidade social para o desenvolvimento de políticas focadas nas condições de risco verificadas.

Com a iniciativa, espera-se ainda que o Estado estruture um sistema de informações com dados detalhados e georeferenciados sobre sua população jovem, possibilitando o cálculo periódico do Índice Multidimensional de Vulnerabilidade dos Jovens Mineiros, incluindo rankings de regiões e municípios prioritários para a intensificação das políticas voltadas para essa faixa da população.