Imprimir

Fundação João Pinheiro aponta crescimento da taxa de desemprego da população negra

Data de publicação .

A taxa de desocupação para a população negra de Minas Gerais aumentou de 13,1% para 14%, enquanto a dos não negros subiu de 8% para 9,4%, na comparação do segundo trimestre de 2017 com o mesmo período do ano anterior.

‚ÄúEsse crescimento √© reflexo da situa√ß√£o econ√īmica vivenciada pelo Estado nos √ļltimos anos e tamb√©m da desigualdade social hist√≥rica percebida‚ÄĚ, explica o pesquisador da Diretoria de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes da pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (Direi/FJP) Glauber Silveira.

‚Äú√Č interessante notar que as taxas de desemprego na Regi√£o Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) s√£o mais elevadas que no restante do Estado, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domic√≠lios Cont√≠nua (IBGE): no segundo trimestre de 2017, 17,7% da popula√ß√£o economicamente ativa negra estava desempregada na RMBH, contra 13,1% dos n√£o negros‚ÄĚ, completa.

PNAD Cont√≠nua / Renda - Em Minas Gerais, no 2¬ļ trimestre de 2016 a popula√ß√£o ocupada negra teve rendimento real m√©dio mensal de R$ 1.457, enquanto os ocupados n√£o negros receberam R$ 2.251. Considerando o mesmo per√≠odo em 2017, o rendimento real m√©dio da popula√ß√£o negra no Estado era de R$ 1.491 ante aos R$ 2.303 dos n√£o negros.

Utilizando a mesma base de compara√ß√£o para a RMBH, a renda real m√©dia dos negros permaneceu relativamente est√°vel ao passar de R$ 1.776 no 2¬ļ trimestre de 2016 para R$ 1.782 (0,3%), no mesmo per√≠odo de 2017. Para os ocupados n√£o negros, o rendimento real m√©dio mensal apresentou pequena redu√ß√£o, passando de R$ 3.323 para R$ 3.249, (-2,2%).

‚ÄúCabe destacar que, no segundo trimestre de 2017, no conjunto do Estado, o rendimento m√©dio real da popula√ß√£o ocupada de cor negra corresponde a 64,7% do recebido pelos n√£o negros. Na RMBH esse percentual √© ainda menor: 54,8%‚ÄĚ, observa Silveira.

PED-RMBH - Composta por 34 munic√≠pios e com popula√ß√£o de 5 milh√Ķes de habitantes, a RMBH √© respons√°vel por 40% do PIB mineiro. Informa√ß√Ķes da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMBH) referentes ao 1¬ļ semestre de 2014 mostram que a taxa de desemprego foi de 8,5% para negros e 7,2% para n√£o negros.

A taxa de desemprego para as mulheres negras foi de 9,5%, enquanto que para os homens negros essa chegou a 7,6%. Entre n√£o negros, a taxa para as mulheres foi de 8% e homens de 6,5%.

Em relação à escolaridade, somente 18,6% da população ocupada de cor negra tem ensino superior completo, enquanto que, para os ocupados não negros, esse percentual alcançou 25,9%.

IDHM - Lan√ßado em maio de 2017 pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econ√īmica Aplicada (Ipea) e o Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o relat√≥rio Desenvolvimento Humano para Al√©m das M√©dias: √ćndice de Desenvolvimento Humano Municipal por cor, sexo e situa√ß√£o de domic√≠lio mostra que, entre 2000 e 2010, a popula√ß√£o branca de Minas Gerais passou da faixa de M√©dio Desenvolvimento Humano (0,675) para a de Alto Desenvolvimento Humano (0,775). No mesmo per√≠odo, a popula√ß√£o negra do Estado manteve-se na faixa de M√©dio Desenvolvimento Humano, passando de 0,558 para 0,693.

Na RMBH essa evolução também foi positiva para ambos os grupos: o IDHM dos brancos passou de Alto Desenvolvimento Humano (0,723), em 2000, para Muito Alto Desenvolvimento Humano (0,825), em 2010, e o dos negros de Médio Desenvolvimento Humano (0,603) para Alto Desenvolvimento Humano (0,738). 

O IDHM √© uma medida composta por indicadores de tr√™s dimens√Ķes do desenvolvimento humano: longevidade, educa√ß√£o e renda. O √≠ndice varia de 0 a 1. Quanto mais pr√≥ximo de 1, maior o desenvolvimento humano.

‚ÄúNa desagrega√ß√£o por cor, as tr√™s dimens√Ķes do IDHM evolu√≠ram positivamente entre 2000 e 2010 para negros e brancos mas, apesar do incremento dos √≠ndices dos negros ter sido superior ao dos brancos, a diferen√ßa entre eles ainda se manteve significativa‚ÄĚ, avalia a pesquisadora da Diretoria de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (Direi/FJP), Denise Maia.

 

 

Taxa de Desemprego por Cor (1) - MG e RMBH - 2¬ļ trim. 2016 / 2¬ļ trim. 2017 - (%)

 

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua). Nota: (1) Cor: Negros - inclui pretos e pardos; Não Negros - inclui brancos e amarelos.

 

 

Evolução do IDHM, IDHM Educação, IDHM Longevidade e IDHM Renda por Cor
Minas Gerais, RMBH e Brasil - 2000 e 2010

Especificação

Minas Gerais

RMBH

Brancos

Negros

Brancos

Negros

2000

2010

2000

2010

2000

2010

2000

2010

IDHM

0,675

0,775

0,558

0,693

0,723

0,825

0,603

0,738

IDHM Educação

0,538

0,702

0,392

0,594

0,637

0,766

0,469

0,656

IDHM Longevidade

0,787

0,853

0,737

0,831

0,744

0,856

0,720

0,847

IDHM Renda

0,725

0,777

0,600

0,675

0,796

0,855

0,650

0,722

Fonte: Atlas de Desenvolvimento Humano do Brasil. Nota: Negros - inclui pretos e pardos.

 

Os dados estão disponíveis na Plataforma FJP Dados, da Fundação João Pinheiro, que pode ser acessada pelo endereço http://fjpdados.fjp.mg.gov.br/MTCN/ 

 

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 | 3448-9588