Imprimir

Plataforma FJP Dados disponibiliza resultados do PIB mineiro no primeiro trimestre de 2017

Data de publicação .

J√° est√£o dispon√≠veis para consulta na plataforma FJP Dados¬†os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais referentes ao 1¬ļ trimestre de 2017. A p√°gina apresenta as informa√ß√Ķes de forma amig√°vel para simplificar a busca e facilitar a interpreta√ß√£o de indicadores pelos diversos atores do governo e da sociedade civil e tamb√©m pode ser acessada em dispositivos m√≥veis.

Parte do estudo Indicadores CEI - PIB Trimestral de Minas Gerais, elaborado pela Diretoria de Estat√≠stica e Informa√ß√Ķes da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro, os dados indicam que a atividade econ√īmica do estado se estabilizou, em termos reais, em rela√ß√£o ao desempenho registrado no trimestre imediatamente anterior, e alguns setores apontam certa revers√£o do ciclo recente de retra√ß√£o do n√≠vel de atividade produtiva.

De acordo com dados divulgados pelo IBGE, o PIB brasileiro, para o mesmo per√≠odo e na mesma base de compara√ß√£o, apresentou crescimento de 1,0%. N√£o houve varia√ß√£o no setor servi√ßo, respons√°vel pela maior parte do PIB, mas registrou-se crescimento robusto da agropecu√°ria (13,4%), com expans√£o significativa da safra de gr√£os (soja e milho), e recupera√ß√£o incipiente da ind√ļstria (0,9%).

Em Minas Gerais, os tr√™s setores econ√īmicos apresentaram varia√ß√£o positiva do PIB, em rela√ß√£o ao quarto trimestre de 2016, com destaque para o setor agropecu√°rio, que continua registrando desempenho bem mais expressivo do que os setores industrial e de servi√ßos (Tabela 1). O crescimento de 10,5% do volume de valor adicionado agropecu√°rio estadual pode ser creditado, basicamente, √† expans√£o da safra de gr√£os (soja e primeira safra do milho e do feij√£o), da batata-inglesa (primeira safra) e da banana.

No caso do setor industrial, cujo valor adicionado cresceu 0,4%, chama a aten√ß√£o a recupera√ß√£o da ind√ļstria extrativa mineral, que cresceu 3,3%, e da ind√ļstria de transforma√ß√£o, com crescimento de 2,7%. ‚ÄúDentro da ind√ļstria de transforma√ß√£o podemos destacar o crescimento de algumas atividades como a fabrica√ß√£o de celulose, papel, m√°quinas e equipamentos e a fabrica√ß√£o de produtos t√™xteis‚ÄĚ, aponta o pesquisador da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro Glauber Silveira.

No entanto, houve retração no desempenho dos subsetores de construção civil (2,7%) e de energia e saneamento (2,0%). A construção civil ainda sofre com a queda da demanda, particularmente do setor residencial, responsável pelo elevado estoque de unidades prontas e em acabamento. Já o desempenho do subsetor de energia e saneamento foi prejudicado pela dificuldade de normalização do nível dos reservatórios para a geração hidroelétrica e, concomitantemente, pela queda no consumo energético.


Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) ‚Äď Centro de Estat√≠sticas e Informa√ß√Ķes (CEI). Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) ‚Äď Contas Nacionais Trimestrais.

No setor servi√ßos, que no c√īmputo global registrou eleva√ß√£o de 0,8% no valor adicionado no primeiro trimestre de 2017, destaca-se a performance do subsetor transportes, com crescimento de 3,1%. Houve ainda varia√ß√£o positiva nos subsetores de com√©rcio (0,8%) e no agrupamento de outros servi√ßos [1] (0,7%).

‚ÄúEstamos h√° v√°rios trimestres enfrentando uma situa√ß√£o de dificuldades e agora existe uma estabiliza√ß√£o em rela√ß√£o aos n√ļmeros. No caso de Minas Gerais, o setor econ√īmico tradicional sofreu muito o impacto do desastre ocorrido em Mariana e tudo isso afetou muito a economia mineira‚ÄĚ, avalia o secret√°rio-adjunto de Planejamento e Gest√£o, C√©sar Lima.¬†

Segundo Lima, o Governo de Minas vem realizando um esfor√ßo para unir atores econ√īmicos de todo o Estado que possam contribuir para que Minas Gerais possa ultrapassar esse per√≠odo de dificuldades. ‚ÄúUma das a√ß√Ķes mais importantes que n√≥s temos feito junto √† Assembleia Legislativa √© a discuss√£o, por exemplo, da Lei Kandir, que colocaria em Minas e seus munic√≠pios recursos adicionais‚ÄĚ, informa. ‚ÄúTamb√©m temos percorrido todo o Estado discutindo com prefeitos, vereadores e agentes econ√īmicos uma forma fazer com que a economia mineira encontre caminhos para que saiamos dessa crise com um pouco mais de rapidez‚ÄĚ, ressalta.

Sobre as perspectivas para o ano de 2017, o pesquisador Glauber Silveira observa que um estudo do FMI calcula um crescimento da economia brasileira de 1% e que a Fiemg e outros √≥rg√£os calculam que esse resultado para Minas seja em torno de 0,5%. ‚ÄúAlguns outros n√ļmeros, como os dados do mercado de trabalho, que j√° apontam para um saldo positivo entre admitidos e desligados, tamb√©m sustentam a hip√≥tese de um ligeiro crescimento da economia mineira em 2017‚ÄĚ, avalia.

Na comparação com o mesmo trimestre de 2016, o PIB de Minas Gerais apresentou oscilação negativa de 0,1%, a despeito do expressivo crescimento do setor agropecuário (12,8%) e da pequena variação positiva do setor industrial (0,4%). O setor serviços, que responde por aproximadamente 2/3 do PIB, teve desempenho negativo (0,5%). Nesta ótica de comparação, o PIB brasileiro recuou 0,4%, com expansão robusta na atividade agropecuária (15,2%) e retração no volume de valor agregado pelas atividades industriais (1,1%) e de serviços (1,7%).

No c√īmputo dos √ļltimos quatro trimestres o PIB mineiro ainda apresenta resultado negativo (1,5%), mesmo com o forte crescimento do setor agropecu√°rio (7,7%), uma vez que houve retra√ß√£o nos setores industrial (3,3%) e de servi√ßos (1,4%). A compara√ß√£o √© com os quatro trimestres imediatamente anteriores. No caso do Brasil, o resultado do PIB nos √ļltimos quatro trimestres √© tamb√©m negativo (2,3%), em n√≠vel mais intenso do que aquele registrado para Minas Gerais. Houve redu√ß√£o do valor adicionado nos setores industrial (2,4%) e de servi√ßos (2,3%) e, al√©m disso, o desempenho do setor agropecu√°rio brasileiro foi pouco expressivo, apesar de ter apresentado varia√ß√£o positiva (0,3%).

Valores Correntes - Com a conclus√£o dos aperfei√ßoamentos metodol√≥gicos no c√°lculo do PIB trimestral de Minas Gerais, colocando-o plenamente integrado ao Sistema de Contas Regionais na refer√™ncia 2010, tornou-se poss√≠vel a divulga√ß√£o dos valores correntes setoriais do valor adicionado (agropecu√°ria, ind√ļstria e servi√ßos) e do PIB mineiro a partir do novo ano de refer√™ncia (2010) (Tabela 2).


Fonte: Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) ‚Äď Centro de Estat√≠sticas e Informa√ß√Ķes (CEI). Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) ‚Äď Contas Nacionais Trimestrais.

Nota: (1) Os resultados trimestrais de 2015, 2016 e do primeiro trimestre de 2017 permanecem como preliminares até a divulgação das pesquisas estruturais do IBGE e sua incorporação pelo Sistema de Contas Regionais (SCR-MG)

Considera√ß√Ķes - Em novembro de 2016 a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro em parceria com o IBGE divulgou o resultado definitivo do PIB de 2014, a retropola√ß√£o na nova metodologia (refer√™ncia 2010) e alguns ajustes pontuais nos resultados de 2010-2013 em raz√£o de altera√ß√Ķes nas Contas Nacionais com impactos nas Contas Regionais. Na divulga√ß√£o do quarto trimestre do ano passado tanto a retropola√ß√£o quanto os ajustes pontuais nos resultados de 2010-2013 e o resultado definitivo de 2014 foram incorporados √†s Contas Trimestrais do Estado. Como parte da inclus√£o dos dados retropolados e da reestrutura√ß√£o metodol√≥gica o segmento das Atividades Imobili√°rias e de Alugu√©is passaram a compor o agrupamento de Outros Servi√ßos. Nesta divulga√ß√£o, a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro conclui os aperfei√ßoamentos metodol√≥gicos no PIB Trimestral de Minas Gerais e divulga, pela primeira vez, os resultados nominais trimestrais tendo o ano de 2010 como ponto de partida (o ano de refer√™ncia do novo Sistema de Contas Regionais). De qualquer forma, para al√©m das observa√ß√Ķes acima, os resultados do bi√™nio 2015-2016 e do primeiro trimestre de 2017 ainda s√£o preliminares e os c√°lculos s√£o sempre revistos com dois ajustes principais: 1) atualiza√ß√£o da estrutura de pondera√ß√£o das atividades econ√īmicas no valor adicionado da economia do Estado; e 2) substitui√ß√£o de proje√ß√Ķes ou valores preliminares nas s√©ries de dados prim√°rios utilizados no c√īmputo do PIB trimestral por valores consolidados pelas pesquisas estruturais e pelo Sistema de Contas Regionais (SCR-MG). Os procedimentos de revis√£o s√£o semelhantes aos adotados pelo IBGE no que diz respeito √†s Contas Nacionais Trimestrais, e os resultados definitivos s√£o divulgados usualmente com defasagem de dois anos.¬†

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  / www.fjp.mg.gov.br/

 

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 / 3448-9580

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial

 


[1] Inclui os servi√ßos de alojamento e alimenta√ß√£o; os servi√ßos de informa√ß√£o e comunica√ß√£o; a intermedia√ß√£o financeira, seguros e previd√™ncia complementar; as atividades profissionais, cient√≠ficas, t√©cnicas e administrativas; educa√ß√£o e sa√ļde privada; servi√ßos dom√©sticos; servi√ßos prestados √†s fam√≠lias com esporte, artes, cultura e recrea√ß√£o e as atividades imobili√°rias e de alugu√©is.