Imprimir

Programa Juventudes da Sedese busca garantir autonomia de jovens em Minas (2)

Data de publicação .

Diagn√≥sticos encomendados √† FJP pela Secretaria retratam a realidade local e facilitam a ado√ß√£o de a√ß√Ķes conjuntas do Estado e munic√≠pios

[Fonte: Sedese-MG]

A Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) est√° intensificando as a√ß√Ķes em √°reas de maior vulnerabilidade econ√īmica e social de Belo Horizonte, Contagem, Betim, Ribeir√£o das Neves e em Passos, no Sudoeste do Estado, como forma de garantir uma converg√™ncia de a√ß√Ķes tanto do Estado quanto dos munic√≠pios para que os jovens dessas regi√Ķes tenham acesso, por exemplo, √† capacita√ß√£o, melhorem a empregabilidade e possam retornar ou ingressar na escola formal. Para isso, uma s√©rie de diagn√≥sticos de comunidades desses munic√≠pios foi feita pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP), a pedido da Sedese, para assegurar, de forma mais apurada, um retrato da realidade local.

Essa iniciativa da Sedese faz parte do Programa Juventudes, que busca garantir a promo√ß√£o da autonomia de jovens que se encontram em regi√Ķes de alta vulnerabilidade e risco social, com prec√°rio acesso a direitos sociais e com elevado √≠ndice de homic√≠dios.

Com base nesses diagn√≥sticos, a Sedese realizou entre 5 e 19 de junho o ciclo de oficinas Juventudes e Territ√≥rios, que reuniu nessas comunidades t√©cnicos da Sedese e da FJP, al√©m de trabalhadores que atuam na rede de servi√ßos e gestores e t√©cnicos das prefeituras. Esse trabalho, para conhecer melhor a realidade local, teve in√≠cio no munic√≠pio de Contagem, na Grande BH, onde foi discutida com a comunidade local a exposi√ß√£o √† viol√™ncia, al√©m de aspectos relacionados ao trabalho e educa√ß√£o que afetam a vida da popula√ß√£o jovem dessas regi√Ķes intramunicipais priorizadas pelo Programa Juventudes.

O trabalho tamb√©m foi levado √†s comunidades do Alto Vera Cruz, Taquaril, Granja de Freitas, Jardim Felicidade, Serra, Morro das Pedras e Santa L√ļcia, em Belo Horizonte; √†s do Citrol√Ęndia, Teres√≥polis e Vila Recreio, em Betim; do Floren√ßa, em Ribeir√£o das Neves; e de Passos.

De acordo com Aid√™ Can√ßado Almeida, assessora estrat√©gica de Programas Especiais da Sedese, o Programa Juventudes se dirige a essas regi√Ķes como forma de estimular a converg√™ncia de a√ß√Ķes de diversos setores, do Estado e dos munic√≠pios, para esses jovens. ‚ÄúEnt√£o, os diagn√≥sticos das √°reas intramunicipais, contratados pela Sedese e realizados pela FJP, ajudam as equipes de trabalho nesses locais, da educa√ß√£o, da assist√™ncia social, da Sedese, do Fica Vivo, a enxergar melhor aquela realidade e poder atuar de forma mais integrada, dirigindo a aten√ß√£o √† prote√ß√£o integral desses jovens‚ÄĚ, conta.

Aid√™ Can√ßado ressalta a import√Ęncia desse momento, que √© primeiro enxergar uma determinada √°rea intramunicipal, porque o Programa Juventudes pretende, cada vez mais, dirigir a√ß√Ķes espec√≠ficas para cada territ√≥rio. ‚ÄúEsse diagn√≥stico vai nos possibilitar adequar um pouco melhor as a√ß√Ķes que j√° estamos desenvolvendo nesses locais e ampliar o di√°logo com outros setores, cada um na sua compet√™ncia, canalizando a√ß√Ķes para os jovens mais vulner√°veis dessas regi√Ķes‚ÄĚ, enfatiza.

Segundo a assessora estrat√©gica da Sedese, √© necess√°rio dar oportunidades a esses jovens que fa√ßam sentido em suas vidas. ‚ÄúTanto mudar uma trajet√≥ria quanto de oportunizar experi√™ncias significativas. Por exemplo, o que est√° fora da escola, poder frequentar os nossos cursos de qualifica√ß√£o. A ideia √© que parte desses jovens possa voltar para a escola formal, a partir de uma articula√ß√£o com o projeto Vem, da Secretaria de Educa√ß√£o‚ÄĚ, explica.

Segundo Cristiane Zeferino, gestora do Centro de Prevenção Social à Criminalidade de Nova Contagem, esse diagnóstico vai subsidiar a construção de alternativas mais assertivas em relação aos impasses vivenciados no território.

‚ÄúA apresenta√ß√£o dos dados levantados pela Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro vai poder contribuir para que a gente possa elaborar um plano local de preven√ß√£o √† viol√™ncia mais qualificado. A pesquisa n√£o aborda s√≥ essa tem√°tica, mas n√≥s avaliamos que a partir dos elementos que os t√©cnicos est√£o trazendo, ser√° poss√≠vel pensar em um plano local que englobe toda a complexidade do territ√≥rio‚ÄĚ, afirmou.

 

Foto: Sedese-MG