Imprimir

Ensaio fotográfico Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor? fica em cartaz até a próxima quarta, 28

Data de publicação .

Parceria da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro com a Faculdade Pit√°goras e a Organiza√ß√£o Regional de Combate ao C√Ęncer de Betim, exposi√ß√£o apresenta o amor sob a perspectiva de pacientes oncol√≥gicos e seus companheiros


Hist√≥rias que inspiram e emocionam ao extra√≠rem do sofrimento e da dor uma beleza singular, caracterizada pela for√ßa, pelo cuidado, pelo companheirismo e pela esperan√ßa. Este √© o mote da mostra fotogr√°fica Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor?, que fica em cartaz somente at√© a pr√≥xima quarta-feira, 28 de junho, no Monte Carmo Shopping [Av. Juiz Marco T√ļlio Isaac, 1.119 - Ing√° Alto - Betim].

Idealizado pelo professor da Faculdade Pit√°goras Alberto Mesaque e pela pesquisadora da Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro (FJP) Maria Nogueira, o projeto foi abra√ßado pela supervisora assistencial da Organiza√ß√£o Regional de Combate ao C√Ęncer de Betim (Orcca) Fernanda Martins e pelos fot√≥grafos Fabricio Goulart, tamb√©m da FJP, e Alexandre Ferreira Nunes.

Motivada por hist√≥rias de homens e mulheres diagnosticados com c√Ęncer e pela can√ß√£o Quem sabe isso quer dizer amor?, dos irm√£os M√°rcio e L√ī Borges, a iniciativa esquiva-se da tradicional representa√ß√£o do amor de contos de fadas que envolve o dia dos namorados ao trazer a tona um outro vi√©s - realista e para al√©m do mito do amor rom√Ęntico - desse sentimento.

‚ÄúO ensaio fotogr√°fico foi feito com casais em que um dos pares esteja vivenciando ou tenha passado pela experi√™ncia do adoecimento por algum tipo de c√Ęncer‚ÄĚ, explica Maria Nogueira. ‚ÄúComo forma de passar por um momento que implica em sofrimento e desafios, o m√™s dos namorados foi escolhido como tem√°tica para retratar o amor, o cuidado e o afeto entre esses casais‚ÄĚ, completa.

A experi√™ncia foi um desafio tanto para os casais, que sa√≠ram de suas rotinas, quanto para os fot√≥grafos. ‚ÄúN√£o quer√≠amos um ensaio rom√Ęntico tradicional, mas tamb√©m n√£o pens√°vamos em fotos que expusessem apenas as fragilidades de pessoas que est√£o enfrentando o tratamento contra o c√Ęncer‚ÄĚ, conta o fot√≥grafo Fabr√≠cio Goulart. ‚ÄúFoi muito gratificante trabalhar as particularidades de cada casal, propiciar a eles uma pausa em uma rotina muitas vezes sofrida, escutar suas hist√≥rias e registrar suas emo√ß√Ķes‚ÄĚ, avalia.

Conceito - Por meio de uma sele√ß√£o de imagens de seis casais assistidos pela Organiza√ß√£o Regional de Combate ao C√Ęncer de Betim (Orcca), a mostra √© um convite √† reflex√£o sobre a influ√™ncia do amor no processo de recupera√ß√£o de pacientes oncol√≥gicos. Ainda, as imagens oferecem ao p√ļblico a percep√ß√£o das dificuldades impostas pelo c√Ęncer, ao mesmo tempo em que exp√Ķem a experi√™ncia de quem encontra no cuidado de seus pares um motivo a mais para enfrentar um longo processo de recupera√ß√£o.

Um dos idealizadores do projeto, Alberto Mesaque, explica que a ideia da exposi√ß√£o surgiu a partir de dois conceitos do criador da psicologia humanista, Carl Rogers. ‚ÄúPara ele, temos duas for√ßas b√°sicas e inatas que nos movimentam: a Tend√™ncia Atualizante, que nos move em dire√ß√£o ao crescimento e ao alcance m√°ximo das nossas potencialidades; e a Tend√™ncia Formativa, que se refere √† tend√™ncia √† cria√ß√£o em meio ao caos‚ÄĚ, esclarece. ‚ÄúNa psicologia humanista, o caos, a dor e o sofrimento s√£o uma oportunidade muito rica de crescimento‚ÄĚ.

Mesaque destaca, ainda, que o papel da mostra √© despertar no p√ļblico o reconhecimento de sentimentos como a uni√£o e a coragem, que tamb√©m perpassam o processo de adoecimento por c√Ęncer. ‚ÄúNossa experi√™ncia junto aos pacientes oncol√≥gicos e seus familiares revela que apesar de toda a dor e sofrimento acarretados pelo c√Ęncer, este tamb√©m √© um momento de renova√ß√£o de for√ßas e de aprendizagem, que leva as pessoas a olhar a vida com outros olhos‚ÄĚ, observa.

Assim como Mesaque, a supervisora assistencial da Orcca Fernanda Martins ressalta a fun√ß√£o social de se mostrar um lado diferente do tratamento oncol√≥gico, evidenciando a import√Ęncia das rela√ß√Ķes afetivas e o papel do cuidador nessas rela√ß√Ķes. ‚ÄúDurante os atendimentos realizados na Orcca percebemos a diferen√ßa para aqueles pacientes que encontram o apoio de seus companheiros no processo de tratamento‚ÄĚ, afirma.

Parceria - Al√©m da possibilidade de ampliar o alcance da discuss√£o sobre a tem√°tica do c√Ęncer para outros contextos no estado de Minas Gerais, a ideia de convidar a Funda√ß√£o Jo√£o Pinheiro para viabilizar a execu√ß√£o do projeto de forma criativa veio a partir do conhecimento da experi√™ncia da pesquisadora Maria Nogueira com a utiliza√ß√£o do audiovisual no contexto das pr√°ticas de sa√ļde coletiva.

A paciente Raquel Rossi e Paulo Eduardo Gomes, seu companheiro. Foto: Fabricio Goulart

 

 

Mostra Fotogr√°fica

Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor?

Até 28 de junho | 2017, das 10h às 22h

Monte Carmo Shopping [Av. Juiz Marco T√ļlio Isaac, 1.119 - Ing√° Alto - Betim]

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informa√ß√Ķes para a imprensa: (31) 3448-9561 | 3448-9588

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial