Imprimir

Fundação João Pinheiro apresenta nova edição do Índice Mineiro de Responsabilidade Social

Data de publicação .

De acordo com o Índice Mineiro de Responsabilidade Social (IMRS) ano base 2010, Extrema, no Sul do Estado, obteve a melhor posição entre os 853 municípios de Minas Gerais. Na sequência do ranking, estão Congonhas, Brumadinho, Barão de Cocais, Ouro Preto, Belo Horizonte e Catas Altas (região Central), Formiga (Centro-Oeste), Nova Lima (Central) e São João Batista do Glória (Sul de Minas).

Divulgado na manhã desta terça-feira (3), o Índice é calculado a cada dois anos pelo Centro de Pesquisas Aplicadas da Fundação João Pinheiro. Abrangendo todos os municípios de Minas Gerais, o IMRS fornece aos gestores públicos e à sociedade subsídios para a elaboração e a avaliação das políticas públicas e para a alocação de recursos financeiros, materiais e humanos.

Para a presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves, o Índice é um importante instrumento de gestão, especialmente para os governos municipais. “Com a entrega deste produto, cumprimos nossa missão de tornar públicas informações de qualidade para que a gestão pública possa ser feita de forma segura, com base em informações objetivas, comparáveis e estratégicas. É fundamental que cada município tenha conhecimento desses números, avalie e compreenda os resultados e, a partir daí, proponha melhorias nas áreas que necessitam de investimento”, afirmou.

Além do Índice, o estudo disponibiliza cerca de 400 indicadores que contemplam as dimensões saúde, educação, segurança pública, assistência social, saneamento/meio ambiente/habitação, cultura, esporte /turismo/lazer, renda/ emprego e finanças municipais.

“O Índice Mineiro de Responsabilidade Social é importante pela quantidade de referências que compõem sua base de dados. O extenso volume de informações permite que os usuários compreendam as nove dimensões a partir de diversos pontos de vistas”, observou Marilena Chaves.

A escolha dos indicadores que compõem o IMRS tomou por base, principalmente, as prioridades de programas e políticas públicas. Da forma como foi concebido, o Índice retrata a responsabilidade social conjunta das três esferas de governo.

Ranking - A classificação de Extrema em primeiro lugar geral no IMRS 2010 reflete o desempenho relativo favorável do município nas dimensões renda, saúde e cultura. Congonhas, que ocupa a segunda posição no Índice, teve bons resultados nas dimensões cultura, segurança e renda.

Na sexta posição do ranking geral do IMRS, Belo Horizonteteve destaque nas dimensões renda, cultura e saneamento/meio ambiente. No recorte de cidades com mais de 200 mil habitantes, porém, a capital mineira é a primeira classificada, seguida por Ipatinga e Juiz de Fora.

Entre os municípios que ocupam as dez primeiras posições no IMRS 2010, apenas Formiga, Brumadinho e São João Batista do Glória não estavam entre os dez primeiros na edição anterior do Índice.

Recorte - Entre as cidades que possuem entre 100 mil e 200 mil moradores, Varginha, Itabira e Poços de Caldas ocupam as melhores posições, enquanto Ouro Preto, Formiga e Nova Lima destacam-se no recorte de 50 mil a 100 mil habitantes.

Ocupantes das três primeiras posições no ranking geral, Extrema, Congonhas e Brumadinho também aparecem nas melhores posições no recorte para cidades que têm entre 20 mil e 50 mil habitantes. Entre os municípios com até 20 mil moradores, os que se destacam são Catas Altas, São João Batista do Glória e Itanhandu.

“As atribuições dos municípios no âmbito das políticas públicas variam de acordo com o porte populacional, entre outros fatores. Por isto, é importante que as comparações intermunicipais sejam feitas somente entre cidades de mesmo porte populacional”, afirmou a pesquisadora do Centro de Pesquisas Aplicadas, Fátima Fortes.

Desempenhos desfavoráveis - De acordo com o IMRS 2010,os municípios que ocuparam as últimas posições foram Água Boa (Rio Doce), Ataléia (Jequitinhonha/ Mucuri), Caraí (Jequitinhonha/ Mucuri), São Sebastião do Maranhão (Rio Doce), Setubinha (Jequitinhonha/ Mucuri), São João das Missões, Nova Porteirinha (Norte), Bertópolis, Santa Helena de Minas e Itaipé (Jequitinhonha/ Mucuri).

Destes, Água Boa, Ataléia, São Sebastião do Maranhão e Setubinha já estavam entre as dez últimas posições na edição anterior do índice.

Software - A base de dados contendo o IMRS e os indicadores que o compõem pode ser acessada por meio de um software específico, disponível para download no site da Fundação João Pinheiro. A ferramenta apresenta diversos recursos de análise, como ordenação, construção de mapas e histogramas, e permite obter informações para todos os municípios de Minas Gerais ou para regiões de planejamento, macro e microrregiões, comarcas, entre outros.

Parceria - Para concretizar esta nova edição do IMRS, a parceria com órgãos da administração estadual, detentores de informações específicas para as áreas abordadas pelo estudo, foi fundamental. Com esta colaboração, foi possível reunir em uma única base de dados informações que se encontravam dispersas e em diferentes formatos de apresentação.

10 MELHORES POSIÇÕES NO IMRS - 2010


 

MUNICÍPIOS MAIS BEM POSICIONADOS POR FAIXA DE POPULAÇÃO


 

10 PIORES POSIÇÕES NO IMRS - 2010

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informações para a imprensa: (31) 3448-9561 / 3448-9580

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial

 

Agência Minas e Blog, acesse para mais notícias do Governo de Minas.

Acesse a Galeria de Fotos do Governo de Minas Gerais

Acompanhe também no http://www.youtube.com/governodeminasgerais

Submit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to Twitter